Votação do Impeachment de Dilma Rousseff Ao Vivo



  

Senado decide se aceita ou não a abertura do processo de Impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Neste dia 11 de maio, o Senado vai votar o relatório que versa da admissibilidade para o processo de impeachment contra Dilma Rousseff, a atual presidente do Brasil.

Como vai ser?

Cada um dos senadores terá até 10 minutos para a discussão e outros cinco minutos para apontar o seu voto. Segundo as expectativas, é provável que 60 senadores falem nos microfones do Senado, sendo que isso daria um total de 10 horas da sessão.

A sessão desta quarta contou com as inscrições para a mesma na terça, dia 10, com dois livros. O primeiro era voltado para os parlamentares que são a favor do impeachment e o segundo para aqueles contrários ao processo de admissibilidade. Ana Amélia, do PP-RS, foi a primeira que colocou seu nome na lista, consequentemente, será a que primeiro apontará o seu voto. Amélia já disse que é favor do impeachment.

José Eduardo Cardozo, que é o advogado-geral da União, terá 15 minutos antes do início da votação para fazer a sua defesa frente a Dilma Rousseff. Depois, chega ao plenário do Senado Antônio Anastasia, do PSDB-MG, que é o relator do processo, também tendo seus 15 minutos para dar o seu parecer favorável para que a presidente seja afastada.

O início da sessão foi às 09 horas da manhã, com uma interrupção às 12 horas. Todos os trabalhos serão retomados às 13 horas e vão até às 18 horas, quando será feita uma nova interrupção. A nova retomada acontecerá até às 19 horas e seguirá até o momento da votação.





Os votos serão realizados através de um painel eletrônico. Será possível assinalar “Sim”, “Não” ou “Abstenção”. Depois que a votação for concluída, começa a divulgação de como cada senador votou.

É necessário o quórum mínimo para a votação, que é de 41 do total de 81 senadores. Para que o processo de impeachment seja aprovado, é preciso que aconteça o voto da maioria simples dos parlamentares (a metade mais um). Renan Calheiros, do PMDB-AL, que é o presidente do Senado, somente vai votar caso aconteça um empate.

Com a aprovação do relatório da comissão, o processo será instaurado de modo oficial com a presidente da república, Dilma Rousseff, afastada pelo período de até 180 dias. Se o “Não” vencer, o processo vai ser arquivado e Dilma volta para o Executivo normalmente.

Você pode acompanhar a votação pela TV Senado, Globo News, Record News, Uol TV (na internet) ou pelo Twitter.



Post Comment