Usuários do Twitter podem ter Dados Vazados na Internet



  

LeakedSource afirma que teve acesso a lista e que provavelmente um vírus foi o responsável por roubar estas informações.

A LeakedSource, uma companhia que tem ganhado cada vez mais espaço na mídia devido aos seus trabalhados envolvendo diversos aspectos da internet, divulgou recentemente mais uma notícia não muito agradável. A companhia afirmou que obteve mais um grande vazamento, dessa vez os afetados foram os usuários do popular Twitter.

De acordo com as informações reportadas pela empresa, o que ela conseguiu foi ter acesso a um banco de dados que contava com nada mais nada menos do que 32 milhões de credenciais de um único usuário da rede que atende pelo codinome Tessa88@exploit.im.

A LeakedSource faz uso de um modelo fremium no qual qualquer pessoa pode efetuar buscas por credenciais gratuitamente. Ainda assim, para ter acesso e visualizar a maioria das credenciais vazadas é necessário que o usuário assine o serviço. Acessos por um período de 24 horas são vendidos por preços entre US$ 2 a US$ 4, variando conforme a forma de pagamento. Curiosamente ela aceita Bitcoins e PayPal. Já as assinaturas anuais podem chegar a custar US$ 200.

Mesmo considerando o fato de que qualquer usuário pode afirmar que possui um banco de dados com as credenciais de usuários, a LeakedSource diz acreditar que em grande parte a “coleção” de dados é legítima. De acordo com ela, as credenciais realmente são verdadeiras e válidas. A informação foi veiculada em um blog da companhia. Ainda segundo ela, de quinze usuários pesquisados todos eles confirmaram que se tratavam de suas senhas que se encontravam por lá.

A companhia destaca que até o momento não existe nenhuma evidência que comprove que as ditas senhas foram levantadas diretamente das contas do Twitter. A empresa acredita que nesse caso em específico os usuários acabaram sendo infectados por alguma espécie de malware que atuou recolhendo os nomes dos usuários e as senhas por meio de seus navegadores.





A LeakedSource informa também que o malware afetou em sua grande maioria usuários russos.

De qualquer forma, caso a pessoa queira fazer a verificação para constatar se suas credenciais se encontram em algum banco de dados comprometido, ela poderá fazer a consulta no site da companhia. Vale lembrar que os bancos de dados contam com as senhas e emails, então as buscas não devem ser feitas usando o nome de usuários.

A busca feita também poderá apresentar outras contas hackeadas. A parte boa é que ninguém precisará ser um assinante da companhia para conseguir as informações necessárias. A busca preliminar irá apontar os sites e as credenciais que foram prejudicadas. Com essas informações o próximo passo é resetar a senha e tomar mais cuidado com a segurança na rede.

Por Denisson Soares



Post Comment