Pessoas que Ficam Vermelhas são Mais Generosas e de Confiança



  

Estudo realizado nos EUA indica que pessoas que mostram rubor na face são mais generosas e dignas de confiança.

Um descuido, um escorregão ou qualquer outra situação que cause vergonha podem passar despercebidos para algumas pessoas, mas para outras (que têm pele clara) a denúncia do sentimento fica estampada na face, através de uma intensa vermelhidão.

A ciência, apesar de não ter desvendado completamente o que há por trás dessa reação, explica que ao passarmos por uma situação constrangedora o nosso sistema simpático (não se sabe ao certo como) aumenta os nossos batimentos cardíacos, como uma espécie de resposta do organismo a uma ameaça (talvez uma ameaça ao nosso “eu”, que precisa lutar).

Imediatamente há uma descarga de adrenalina (hormônio relacionado ao estresse por uma ameaça) no sangue, que aumenta a pressão arterial e, consequentemente, dilata os vasos sanguíneos, principalmente na face, onde eles são abundantes.

Naturalmente, o organismo identifica essa vasodilatação no rosto como um pedido para ser irrigado com mais sangue; causando essa conhecida vermelhidão na face.

Diante desse curioso evento, um estudo realizado pelo doutorando em psicologia na Universidade da Califórnia, Matthew Feinberg, revelou que socialmente esse fenômeno de vermelhidão no rosto significa mais uma virtude do que um defeito, pois ao realizar uma série de testes com indivíduos de várias idades, descobriu que esse rubor nas faces, que alguns apresentam após passar por algum tipo de constrangimento, causa, na verdade, uma certa simpatia e confiança nas pessoas, como se passasse uma impressão de generosidade e humanidade.

“Níveis moderados de constrangimento são sinais de virtude”, disse o pesquisador durante entrevista. “Nossos dados sugerem que isso é uma coisa boa e não algo contra o qual você deve lutar”.

Para o professor, a vermelhidão no rosto de um indivíduo, após ter cometido uma falta ou passar por uma situação desagradável, significa menos um defeito do que um caráter saudável, talvez, quem sabe, por indicar a inexistência, entre outras coisas, de uma possível psicopatia, cuja principal característica é a capacidade de não demonstrar sentimentos.





Em um dos testes, por exemplo, um grupo de 60 estudantes foi convidado a observar, em vídeo, a reação de um ator ao receber a notícia de que havia tirado nota 10 em um dos seus testes. E quando reagia à noticia com certo rubor nas faces, imediatamente despertava sentimentos de confiança por parte dos alunos, porém, ao reagir com orgulho e satisfação, despertava um sentimento de desconfiança e apreensão.

Num outro teste, esse mesmo grupo de estudantes recebeu 10 bilhetes de loteria, mas teria que doar a quantidade que quisesse para outras pessoas.

O resultado foi que aqueles que confessaram ter doado a maior parte dos bilhetes foram os que demonstraram mais constrangimento e um visível rubor nas faces.

O que o estudo parece indicar é que as pessoas que, por terem a pele clara, conseguem deixar transparecer um sinal visível de reação humana, obviamente, inspiram mais confiança, já que as pessoas se sentem mais à vontade com aquilo que podem enxergar.

O que não acontece com as que conseguem esconder seus sentimentos (muitos até involuntariamente, quando têm a pele escura), pois podem ser confundidas com um psicopata ou simplesmente alguém que não tenha sentimentos.

Mas gostaríamos que ficassem à vontade para deixar a sua opinião sobre esse artigo que, de tão polêmico, merece um pouco mais de atenção. Além de acrescentar mais informações sobre o tema.

Vivaldo Pereira da Silva



Post Comment