Jogar Videogame pode trazer Benefícios para as Crianças



  

Estudo revela que crianças que jogam duas horas de videogame por semana tem melhores habilidades motoras e melhor rendimento escolar.

Um estudo realizado por pesquisadores do Hospital do Mar e do Instituto de Saúde Global (IS Global) de Barcelona trás importantes afirmações sobre o uso de videogames por crianças em idade escolar. A pesquisa, liderada pelo médico Jesús Pujol, que atua no serviço de radiologia e de pesquisa, foi publicada na revista científica “Annals of Neurology". Segundo o estudo, jogar videogame por duas horas semanais traz inúmeros benefícios às crianças de 7 a 11 anos. Em contrapartida, jogar por 9 horas semanais pode acarretar problemas de conduta e menos habilidades sociais.

O uso dos tão populares videogames por crianças é motivo de preocupação de pais, professores e a sociedade com um todo. Pois, a maioria das pessoas acredita que os jogos influenciam de forma negativa no comportamento dos pequenos, que vivem ainda um processo de formação de personalidade.

A partir deste estudo, o Instituto Hospital do Mar de Investigações Médicas (IMIM) procurou encontrar a relação entres as horas semanais dedicadas aos jogos e algumas habilidades intelectuais e também problemas de conduta em 2.442 crianças com idade de entre7 a 11 anos que participaram da pesquisa.

Para isso foram analisadas as imagens de ressonância magnética do cérebro de um subgrupo de crianças que faz uso de videogames por 2 horas semanais e observou-se um melhor funcionamento de circuitos cerebrais, muito importantes na aquisição de novas habilidades por meio da prática, além do estabelecimento das conexões basais com os lóbulos frontais. O que resulta em melhores habilidades motoras e um melhor rendimento escolar. O que se dá da mesma forma que as crianças adquirem habilidades motoras através da prática de esporte e brincadeiras ao ar livre.





Por outro lado, na análise das imagens de ressonância cerebrais das crianças que jogam nove horas ou mais por semana, constatou-se um comprometimento das estruturas ligadas ao comportamento, que resultam em problemas como má conduta, conflitos com os companheiro e menores habilidades de convivência social.

Os pesquisadores concluíram que os videogames em si não influenciam nem positiva, nem negativamente na procedência e desenvolvimento das crianças. Porém, é o tempo em que se usa que vai determinar o tipo de influência que a criança receberá.

Sirlene Fátima Oliveira Justo



Post Comment