Reajuste nas Tarifas de Energia Elétrica da Light 2017



  

Alteração deve começar a vigorar a partir de março do próximo ano.

A Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel, aprovou a abertura de uma audiência pública com a finalidade de discutir o requerimento enviado pela distribuidora fluminense Light, destinado a celebração do termo aditivo de contrato o qual inclui ainda uma proposta de revisão das tarifas da companhia de energia elétrica.

No dia 1° de novembro a Agência já havia divulgado a aprovação do índice de reajuste tarifário que, neste caso, teria uma redução média de 12,25%. Em termos gerais dois componentes foram considerados sendo um o estrutural, que agora passa a ser parte integrante da tarifa (- 1,24%) e o financeiro que será aplicado de forma exclusiva pelos próximos 12 meses (- 4,23%).

Segundo as informações divulgadas até agora, com a retirada do componente financeiro que se encontra presente atualmente nas tarifas da companhia (6,79%), os consumidores dos serviços (energia elétrica) da Light SESA irão perceber em suas contas de Luz uma redução em uma faixa média de 12,25%. Conforme a Aneel havia informado na época a aplicação das novas tarifas já entraria em vigor no mês de novembro de 2016.

Conforme divulgado pela própria Aneel, a proposta considera um aumento médio na casa dos 12,36%. Segundo foi proposto tudo entraria em vigor a partir do dia 15 de março de 2017.

A companhia de energia elétrica, que abrange toda a região metropolitana do Rio, já havia solicitado a Aneel a revisão das tarifas. O principal motivo era porque ela considerava o cenário atual um tanto desafiador graças a crise econômica e em especial ao estado do Rio pelos furtos em áreas que são dominadas por milícias e traficantes.





A Light SESA disponibilizou em seu site algumas informações mais detalhadas sobre a questão. De acordo com os estudos apresentados sobre as variadas classes de consumo bem como de níveis de tensão, é interessante observar que os clientes residenciais da empresa irão perceber uma redução média que será inferior a 12,03%.

Segundo a própria Light, o processo de reajuste anual de tarifas é estruturado no repasse aos clientes dos custos não-gerenciáveis da concessão e da atualização dos custos gerenciáveis, seguindo a variação do IGP-M com a subtração do Fator X, que efetua o repasse aos consumidores dos ganhos em produtividade anual obtidos pela concessionária.

Veja maiores informações na análise da Light SESA sobre o assunto clicando aqui.

Por Denisson Soares



Post Comment